menu

Mar 8, 2017

Resenha O Olho Mais Azul, de Toni Morrison



Título Original: The Bluest Eye
Autora: Toni Morrison
Ano: 2003 / Páginas: 216
Idioma: português 
Editora: Companhia das Letras
Oi pessoal, essa resenha é muito especial  para mim, pois esse livro mexe muito comigo. Amo  tanto esse livro que eu quase fazia a resenha em vídeo, bom daria pra falar bem mais sobre a obra. Eu já me senti muito deprimida, como uma das personagens. Foi uma leitura muito forte, que ajudou na minha afirmação quanto negra e eu ainda fiz um artigo sobre ele que é  relacionado ao padrão eurocêntrico de beleza que muitas vezes nós (negras) somos impostas a usar.

Sinopse: Cholly e Pauline Breedlove têm dois filhos - Sammy e Pecola. Seria uma típica família americana não fossem os Breedlove muito pobres e negros. A situação de marginalidade é ainda mais grave para a menina Pecola, que encontra rejeição em todos os ambientes que freqüenta. Na escola, é ridicularizada até pelas outras crianças negras, pois é quem tem a pele mais escura. Nos Estados Unidos da década de 40, época em que se passa a história, o padrão de beleza é exatamente o oposto daquele que a menina ostenta. Garotas negras e pobres, como ela, costumavam ganhar de presente bonecas brancas de olhos azuis e tomar leite em canecas estampadas com o rosto da atriz-mirim Shirley Temple. Todas as noites, a pequena Pecola reza para ter olhos azuis - num delirante e inconsciente desejo de redenção e ascensão social.

É uma narrativa pesadíssima, mas essa resenha está bem leve para que todo mundo consiga entender o assunto. Primeiro, é uma história que se passa nos anos 40 lá em Ohio nos Estados Unidos, é sobre relacionamento familiar, identidade negra, mulher, segregação racial, mídia “branca”, infância perdida, beleza, assédio, dentre outros.
Esse livro conta a história de Pecola, uma garota de 11 anos, que após uma discussão em casa, vai morar na casa de duas amigas, e justamente uma dessas meninas, Claudia, é a narradora da história. Pecola sofre preconceito que vem de vários tipos de pessoas, como alunos de sua escola, vizinhos, comerciantes, não posso falar o livro todo. ˆˆ Devido toda essa violência, a garota reza todos os dias para ter olhos azuis, ela acredita que assim as pessoas iriam gostar dela e que seus pais iriam parar de brigar.
A escrita de Toni é incrível, com um narrador personagem e outro em terceira pessoa, conseguimos ficar por dentro da história de outros personagens como o pai e a mãe de Pecola. Mescla elementos da natureza com os sentimentos dos personagens, é um texto que possui uma estrutura pós modernista e estética única, que consegue transportar o leitor para um outro nível de entendimento sobre o que é ser  mulher negra. Ah e essa foi  a primeira negra a ganhar o Nobel de literatura, ela é minha inspiração.


Espero que tenham curtido, casou direitinho no dia da mulher, né. Até a próxima postagem.

7 comments:

  1. Primeiramente gostaria de agradeçer pela sua iniciativa de criar um blog e compartilhar com muitas pessoas o seu ponto de vista. Simplesmente amei a sua resenha, fiquei curioso com a história e vou já procurar este livro para ler.👏👏👏👏

    ReplyDelete
  2. Que perfeição. Primeiro, vou indicar na fanpage Mulheres na literatura. que bom que o livro te ajudou em sua afirmação como mulher negra e você questiona os padrões eurocêntricos, acho que essa foi a melhor resenha que li esta semana. Perfeita, suas palavras, empoderadas, políticas e informativas. Já virei sua seguidora de carteirinha. Sim, Toni é incrível e deveria ser leitura obrigatória.

    ReplyDelete
  3. Oi,
    Com certeza esse foi um livro que mexeu muito com você.
    É bom quando uma leitura faz isso com a gente.
    Gostei muito da sua resenha.
    Abrçs

    ReplyDelete
  4. Olá, uau! Não sabia desse livro e só pela sinopse senti a intensidade do tema, sua resenha mexeu comigo, como mulher negra imagino o quanto essa leitura mexe com a gente. Ainda vivemos muito preconceito e os padrões eurocêntricos devemos questionar mesmo, poxa comecei bem minha semana com essa resenha 😘

    ReplyDelete
  5. Nossa, eu realmente preciso conhecer essa história! Já providenciei aqui! Sorte a minha ter encontrado sua resenha, compartilhando essa dica incrível!

    ReplyDelete
  6. Oi Gisele.

    Eu não conhecia nada sobre o livro e por abordar sobre preconceito racial, tenho certeza que é uma leitura difícil de apreciar. Imagino como a trama deve mexer com o leitor e vou adicionar na minha lista de desejados. Ótima dica de leitura.

    Bjos

    ReplyDelete
  7. Olá!
    Não conhecia o livro, mas a história é bem interessante. Mesmo em pleno século 21 estamos vivendo o preconceito e ele vem de varias formas. Ainda não entendemos que a beleza deve ser celebrada pela diferença que cada ser humano tem e não tentar igualar a beleza em uma só. Amei o tema abordado no livro é se tiver oportunidade vou ler.
    Beijinhos!

    ReplyDelete