menu

Mar 20, 2015

#Após a Aula - Dicas para fazer uma resenha.


Hoje é dia do blogueiro, sendo assim falarei um pouquinho sobre dicas para fazer resenha, que é algo muito comum em blogs literários e até mesmo na escola. Resenha é, sobretudo um texto informativo, que resume e avalia o conteúdo, respectivamente a resenha resumo e a resenha crítica. Pode ser sobre um livro, filme, peça teatral, etc. Tem como objetivo divulgar as obras, a partir de um depoimento de quem a escreve.
Quando os professores mandam resenhar ou resumir algo, alguns alunos sentem dificuldade. Eu tive dificuldade quando fui fazer minha primeira resenha. O que me ajudou muito foi ler outras resenhas, não necessariamente da mesma obra. Aqui estão algumas dicas para fazer uma resenha.

- Conhecer sobre o que vai enunciar, só podemos falar sobre um livro se o lemos de verdade.
- A resenha deve conter nossas impressões, as vezes o mesmo texto pode conter diferentes visões para cada leitor, dependendo de sua bagagem literária.
- Resuma a obra, como uma sinopse, logo depois resuma a seu ver.
- Construa parágrafos com tópicos frasais, ou seja, a introdução do seu paragrafo definirá a ideia geral dele.
- Cuidado com os spoilers, sua resenha incentivará outros leitores e spoilers podem fazer com que o seu publico lhe julgue mal. Eu já cometi esse erro ^^
- Fale sobre a evolução da obra claramente, mesmo quando esta contiver influencias culturais filosóficas ou sociais, para que outros públicos possam contemplar também.

Bom pessoal, é isso, espero ter ajudado. ^^

Mar 12, 2015

Resenha - Cidades de Papel

Titulo original: Paper Towns
Autor: John Green
Tradução: Juliana Romeiro
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Páginas: 368
“Gosto dos fios. Sempre gostei. Porque é exatamente assim que eu me sinto. No entanto, acho que eles fazem a dor parecer mais fatal do que realmente é. Não somos tão frágeis quanto os fios nos fariam acreditar”
Resolvi dar uma chance ao Green depois que toda aquela febre de A Culpa é das Estrelas passou um pouco. Consciente de que Cidades de Papel carregaria certo melodrama, fiquei insegura de ler por medo de me decepcionar ou algo parecido.
“Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia."
     O livro é dividido em três partes ( Os Fios, A Relva, O Navio) e o prologo. Foi isso que me fez ler o livro, o prologo, pois neste já percebemos um mistério. Logo então tive uma vontade absurda de querer saber tudo que estava por vir nas seguintes paginas. Realmente é um mistério e Margo é bem doidinha da cabeça, porem minha admiração por ela crescia a cada descoberta de Quentin.
     Os personagens são jovens adultos, no fim do ensino médio. Percebi que eles tinham vida social, digamos que bem sucedida( carros, festas e bebedeiras), mas há uma linha de problemas internos que eles enfrentam. Principalmente Margo. Por mais que seja um livro bem descontraído há uma questão séria envolvida.
     Quando comecei a ler eu não sabia praticamente nada a respeito da narrativa, fiquei surpresa com certos termos e piadinhas que surgem na evolução, eu ri muito mesmo. Teve momentos que ficou muito cansativo e fiz varias pausas. Existem alguns trechos que podemos considerar clichês, mas as lições repassadas são bastante interessantes.
     Durante a busca de Quentin por Margo é citado muitas vezes trechos de “Canção de Mim Mesmo” de Walt Whitman. Para mim isto enriqueceu o livro e o fez mexer muito comigo quanto à mensagem principal. O final me surpreendeu e me deixou confusa logo de imediato, não há uma explicação clara, busquei entender as ultimas paginas me colocando no lugar dos personagens. Não sei se isso foi de proposito do autor, mas Margo e Quentin me deram luz para seguir em frente, viver antes que meus fios se arrebentem.          
      Quero ler outros livros do autor, que sejam como este, divertido e reflexível. Meu próximo será “Quem é você, Alaska? “ que foi o primeiro romance de Green, que quero ler há bastante tempo mesmo, desde o ensino médio. ^^
“Mas as coisas vão acontecendo... as pessoas se vão, ou deixam de nos amar, ou não nos entendem, ou nós não as entendemos... e nós perdemos, erramos, magoamos uns aos outros.”

Mar 8, 2015

Dia da Mulher : minhas autoras preferidas!

Oi gente, hoje como sabemos desde a infância, é o Dia Internacional da Mulher, então resolvi fazer esta postagem para mostrar minhas autoras preferidas.
 Começando com a rainha J. K. Rowling, autora da saga Harry Potter, pois foi ela quem me fez mergulhar por inteiro nesse  mundo das leituras, foi com ela que me apaixonei por literatura fantástica. Sem contar que ela é um exemplo para todos os que querem ser escritores, principalmente as garotas, pois quando 'Jo' levou Harry Potter para as editoras não foi fácil e quando ela conseguiu que sua obra fosse publicada teve de publicar como J. K. Rowling, pois isso não revelaria de cara que o autor daquela obra que seria sucesso mundial fosse uma mulher! Agora me diz, que mal tem em ser uma mulher, a sociedade envergonha muito viu! 


A segunda autora que amei de imediato foi a Cassandra Clare, a autora de Os Instrumentos Mortais, os livros são maravilhosos em todos os aspectos, evolução da narrativa, os personagens, os detalhes, gente, tudo! Ela também escreveu muitos fanfics de Harry Potter dentre outras sagas conhecidas.

Outra autora, que gosto muito de seu trabalho é a
Veronica Roth, autora da saga Divergente, que é de tirar o fôlego. Mais uma vez as mulheres tem mentes brilhantes quando o assunto é criar mundos. *-*


Quem não poderia ficar de fora é minha queria
E.L. James,
Erika Leonard James, autora da trilogia Cinquenta Tons de Cinza, primeiro romance dela que como todo nós sabemos está sendo um sucesso mas também há as polêmicas por ser um livro adulto.


Bom, é isso e Feliz dia da Mulher e  as presenteiem com livros! hahaha!